Bernauto

Quanto custa percorrer 100 km num Veículo Elétrico?

Artigo publicado na edição nº 53 da revista Blueauto de março de 2022, sobre o valor de carregamento de um veículo elétrico em comparação a um veículo de combustão interna.

BMW i3 eDrive - 100% elétrico

Tem sido tema da atualidade qual será o custo real de utilização de um automóvel elétrico em comparação com os automóveis movidos com motores térmicos, sejam a gasolina ou a gasóleo.
Em breve a UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos, irá realizar um estudo completo do custo total de operação comparativo entre um automóvel elétrico e os automóveis com motores movidos a combustíveis fósseis.

Neste artigo vou-me centrar no custo comparativo para percorrer 100 km.

Em virtude da enorme variedade de veículos disponíveis foi considerado um consumo médio de 7l/100km para um carro a gasolina, o consumo médio de 6l/100km para um carro a gasóleo e um consumo médio de 16 kWh/100km para um carro 100% elétrico.

Foram considerados os preços médios da gasolina e do gasóleo, que como sabemos não só têm subido quase ininterruptamente nos últimos meses, como, face aos mais recentes acontecimentos a que assistimos na Ucrânia, poderão subir muito mais devido ao disparar dos preços do petróleo e do gás. Certos de que esta subida terá também os seus reflexos no custo da eletricidade, no entanto este pode ser esbatido através da produção nacional de eletricidade por fontes renováveis, a solar fotovoltaica, a eólica, a hídrica e num futuro, de uma forma reduzida a das ondas, das marés e a geotérmica (Açores). Não existe alternativa e Portugal deve acelerar rapidamente essa produção e a sua independência face às variações, e à especulação de preços a nível internacional, induzida, ou não, por ações militares ou por desastres naturais.

Este é o quadro com a evolução do custo para percorrer 100 km, desde 2020, num automóvel a gasolina, a gasóleo ou elétrico, conforme o seu carregamento seja efetuado na Rede Pública de Carregamento Rápido, num PCR (50 kW), ou num carregamento doméstico com tarifa simples ou com uma tarifa bi-horária.

Em relação ao preço da gasolina e do gasóleo foram usados os preços médios dos diversos tipos de combustíveis fósseis e calculada a sua média.

Para o preço do kWh para a mobilidade elétrica foi usado o cartão EDP Comercial com o desconto oferecido pela parceria EDP/UVE para carregamentos efetuados num Posto de Carregamento Rápido (PCR) de 50 kW.

Para o preço do kWh para a eletricidade doméstica foi usado o preço tabelado do mercado regulado (SU Eletricidade).

Estas escolhas residem no facto da EDP Comercial deter 74% do mercado liberalizado e da SU Eletricidade representar 14.5% do mercado regulado, sendo esta uma opção disponível para qualquer utilizador.

Este quadro representa numa simples imagem a grande diferença de custo para percorrer 100 km entre um automóvel a gasolina, a gasóleo ou elétrico.

O diferencial é de tal ordem que a conclusão é que sim, para percorrer 100 km, é muito mais económico se o fizermos num veículo elétrico, e apenas tendo em conta o custo do combustível/energia, sem considerar os descontos, como por exemplo, em portagens (Via Card nas pontes 25 de abril e Vasco da Gama) ou no estacionamento (gratuito em muitas autarquias e em Lisboa, por exemplo, tem o custo de 12€/ano (selo verde da EMEL).

Claro que se podem fazer contas com um custo superior ou inferior aos apresentados, pois tudo dependerá do tarifário do comercializador de eletricidade, do posto de carregamento elegido, do operador e da potência disponível, da hora a que efetuamos o carregamento, do nível de carga da bateria no momento do carregamento, da temperatura ambiente e da própria bateria, enfim de uma panóplia enorme de fatores a que também não será indiferente o peso do nosso pé direito no acelerador do carro.

O que se pretende demonstrar é que para uma utilização normal e corrente, considerando os preços médios dos combustíveis e os de referência indicados dos comercializadores de eletricidade será sempre muito mais económico a utilização de um veículo elétrico.

Lisboa, 25 de fevereiro de 2022
Henrique Sánchez

Fonte: UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos