Bernauto

Passo a passo, como aderir ao AUTOvoucher (e ter o desconto de 20€)

O Governo aumentou o valor devolvido aos contribuintes no âmbito do AUTOucher para 20 euros este mês, devido ao aumento dos preços dos combustíveis que se verificou no início desta semana. Ainda não aderiu ao programa? O Notícias ao Minuto preparou um guia como um passo a passo para se inscrever e obter o desconto anunciado pelo Executivo.

Antes de mais, o que é o AUTOucher?

“Face ao aumento do preço dos combustíveis e do seu impacto no rendimento dos cidadãos e das famílias, o Governo decidiu atribuir um apoio financeiro de cinco euros mensais (o correspondente ao desconto de 10 cêntimos por litro de combustível num total de 50 litros/mês) aos consumos em postos de abastecimento de combustíveis, nos meses de novembro de 2021 a março de 2022”, explica o Ministério das Finanças, em comunicado enviado às redações.

Contudo, – e dado o forte acréscimo dos preços verificado nos últimos dias – “durante o mês de março, o valor aumenta para 20 euros”. Ou seja, na prática, “após o primeiro consumo do mês num posto de abastecimento de combustível aderente, independentemente do seu valor, o desconto será reembolsado na conta bancária do contribuinte, no prazo máximo de dois dias úteis”.

Já abasteci este mês e recebi 5€. Ainda tenho direito aos 20€?

Vale recordar, contudo, que os 20 euros de ‘desconto’ entraram em vigor no dia 7 de março, o que significa que “os consumidores que aderiram ao programa antes de 07/03/2022 e já tinham recebido o reembolso de cinco euros relativo ao mês de março, receberão mais 15 euros na sua conta bancária após o próximo consumo que efetuarem este mês”, explica a tutela.

Passo a passo, eis como aderir ao AUTOucher

Aceda ao site https://www.ivaucher.pt/;
Insira o seu número de contribuinte ou Número de Identificação Fiscal (NIF);
Valide o NIF.

“O contribuinte deverá registar o seu Número de Identificação Fiscal e os seus cartões bancários são automaticamente associados. Após a adesão, o sistema demora um dia útil a ficar ativo”, nota ainda o Ministério das Finanças.

Fonte: Economia ao minuto